AIoT Brasil BRASIL INTELIGÊNCIA ARTIFICIALE INTERNET DAS COISAS BRASIL

Fechar
A A

Tamanho fonte

Por redação AIoT Brasil

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) anunciou neste mês a criação do Centro de Excelência em Saúde & Bem-Estar e Inteligência Artificial (Sabiá), que reunirá mais de 60 cientistas em um projeto inédito, concentrado na área da saúde. O trabalho é coordenado pelo Centro de Informática da instituição (CIn-UFPE) e conta com a parceria da Samsung e do instituto SiDi, que colocaram à disposição dos pesquisadores o SiDi IARA (Inteligência Artificial Revolucionando o Amanhã), terceiro maior supercomputador da América Latina.

O projeto tem duração prevista de cinco anos, período em que a equipe vai pesquisar, investigar e inovar em conhecimentos científicos e tecnológicos nas áreas de saúde e bem-estar. Cientistas, professores, consultores, PhDs, doutorandos, mestrandos, graduandos, administradores e desenvolvedores farão um trabalho de caráter multidisciplinar a partir de cinco linhas: personalização de diagnósticos e recomendação em saúde; monitoramento; diagnóstico e recomendação em esportes; monitoramento e diagnóstico por meio de sensores; sistemas de inteligência artificial com adaptação ao contexto; e aprendizado de máquina aplicado à segurança de dados.

Os coordenadores do projeto, Fabio Silva e André Santos, do CIn-UFPE, lembraram que a colaboração com a Samsung já dura cerca de duas décadas, com resultados importantes para a sociedade: “Esse novo projeto de pesquisa de longo prazo demonstra o comprometimento que temos na produção de resultados alinhados com os interesses da sociedade. Estamos certos de que os resultados que iremos obter com a aplicação da inteligência artificial em saúde e bem-estar beneficiarão diretamente muitas pessoas no Brasil e, possivelmente, em outros países”.

Fernando Arruda, diretor de planejamento de pesquisa e desenvolvimento da Samsung no Brasil, disse que haverá também a participação de pesquisadores em inteligência artificial, cientistas de dados e desenvolvedores de software do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa, localizado em Campinas (SP). “Nos últimos anos, saúde e bem-estar ganharam força globalmente, não apenas por questões relacionadas à pandemia, mas pela necessidade cada vez mais urgente de encontrar soluções inovadoras que contribuam para a saúde da população. Nesse cenário, entendemos que as pesquisas, aliadas ao poder da inteligência artificial, têm muito a contribuir”, afirmou.

O Centro Sabiá será parte do Ecossistema de Inteligência Artificial Samsung, que se fundamenta nos pilares educação, pesquisa e desenvolvimento de aplicações, por meio da criação de algoritmos e métodos que utilizam a tecnologia nas áreas de saúde e bem-estar, segurança da informação e internet das coisas. Com os recursos do SiDi IARA, o projeto também pretende utilizar a IA para desenvolver aplicativos e wearables, além de antecipar tendências do mercado de tecnologia para a área da saúde.

Mais populares

02/06/2022

Inteligência artificial detecta fake news na internet

Leia mais
27/08/2021

Automação doméstica deve crescer 30% no Brasil

Leia mais
13/01/2021

Testamos os recursos tecnológicos do VW Nivus

Leia mais
28/06/2022

Que tal pagar o cafezinho com criptomoeda?

Leia mais
27/06/2022

Como os brasileiros veem as tecnologias wearable

Leia mais
break

Notícias Relacionadas