AIoT Brasil BRASIL INTELIGÊNCIA ARTIFICIALE INTERNET DAS COISAS BRASIL

Fechar
A A

Tamanho fonte

Por redação AIoT Brasil

Um consórcio liderado pela Positivo Casa Inteligente acaba de criar uma plataforma colaborativa com o objetivo de ampliar a discussão do conceito de smart home no Brasil, além de reunir a comunidade de usuários de dispositivos de internet das coisas em um ambiente digital aberto a todos os interessados. A iniciativa conta com a parceria da Acessibiliza_SP, da Associação Brasileira de Automação Residencial e Predial (Aureside), do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) e dos escritórios de arquitetura Realiza e Solo.

Para participar, compartilhar experiências e aprofundar-se em temas como sustentabilidade, economia e acessibilidade, basta fazer o cadastro gratuito no site da Comunidade Casa Inteligente. “É um ambiente onde as pessoas têm total liberdade para levantar discussões, apresentar soluções e tirar dúvidas sobre IoT. Queremos mostrar que todos podem ter uma vida melhor e mais inteligente por meio da tecnologia, além de inspirar os usuários a criar novas formas de utilização dos produtos de smart home”, disse José Ricardo Tobias, responsável pela Positivo Casa Inteligente.

José Muratori, especialista em automação residencial e membro fundador da Aureside, lembrou que a própria associação já atua como uma comunidade que cria sinergia entre instaladores e integradores de soluções inteligentes. “A Casa Inteligente abrirá portas para ficarmos ainda mais próximos dos consumidores finais e contribuir para a discussão e a evolução do tema no mercado do brasileiro”, acrescentou.

Idealizador do Acessibiliza_SP, Nelson Rocha lembrou que para a pessoa com deficiência a tecnologia representa muito mais do que conforto e comodidade: “É uma das chaves para sua autonomia e independência. Participar da Comunidade Casa Inteligente é uma ótima oportunidade para engajar um grupo de consumo ainda pouco visível para a indústria e o comércio em um ambiente colaborativo, a partir de conteúdos exclusivos, educativos e de qualidade”.

Rocha disse que, em primeiro lugar, uma casa inteligente deve ser acessível: “Se a solução é boa para a pessoa com deficiência e atende suas necessidades, então será útil para todos. Nesse momento de transformação constante, precisamos de iniciativas como essa no processo de inclusão da pessoa com deficiência, para quem inovação, agilidade e adaptação significam liberdade”.

Mais populares

02/06/2022

Inteligência artificial detecta fake news na internet

Leia mais
13/01/2021

Testamos os recursos tecnológicos do VW Nivus

Leia mais
20/01/2022

Os principais ataques cibernéticos no Brasil em 2021

Leia mais
23/06/2022

FEA/USP promove conferência de ciência e negócios

Leia mais
27/08/2021

Automação doméstica deve crescer 30% no Brasil

Leia mais
break

Notícias Relacionadas