AIoT Brasil BRASIL INTELIGÊNCIA ARTIFICIALE INTERNET DAS COISAS BRASIL

Fechar
A A

Tamanho fonte

Por redação AIoT Brasil

A Alarmtek, desenvolvedora de equipamentos de segurança em operação em várias instituições financeiras do país, foi a vencedora da concorrência aberta pelo Banco do Nordeste (BNB) para a implantação de soluções de tecnologia em mais de 300 de suas agências. Num prazo de três meses, a empresa deverá instalar sistemas de alarme, CFTV e autodefesa baseados em inteligência artificial e autoaprendizagem, integrados a um software de gestão única e equipamentos capazes de acionar geradores de neblina, neutralizadores, destruição de cédulas e outros dispositivos de resposta automática.

O sistema terá o software de segurança Smart Integration para combinar os alarmes e imagens do CFTV em um só ambiente, gerando ações automáticas de defesas e comunicação de alertas para acionar as forças de segurança pública em possíveis episódios de delitos contra o patrimônio das agências, por exemplo. Na área de inteligência artificial, a Alarmtek mantém uma parceria com a empresa britânica InteleX Vision, provedora internacional de soluções para o setor bancário. Essa associação permite que a Alarmtek teste em ambientes reais a geração VI de defesas da solução ATK3000, com resultados criados pela autoaprendizagem da IA.

“O BNB receberá todas as opções já disponíveis no software de segurança Smart Integration Geração V, e o que for aprovado para uso fará parte do plano de segurança da instituição, gradativamente”, disse Rogério Camargo, CEO da Alarmtek. “É importante frisar que alguns dos resultados serão inovadores mesmo para a Alarmtek, uma vez que o sistema baseado em autoaprendizagem se adaptará ao ambiente das agências e definirá as ações e alertas. Finalmente a inteligência artificial chegou às instituições bancárias brasileiras”, acrescentou.

Fernando Oller, diretor de planejamento da Alarmtek, explicou que, até pouco tempo atrás, as defesas e o monitoramento de vídeo requeriam exclusivamente a ação humana, às vezes associada a análises baseadas em regras. “O resultado era a não detecção de grande quantidade de eventos ou uma avalanche de falsos positivos. Hoje, a inteligência artificial permite aos operadores trabalhar com menos de 1% do vídeo gerado, aumentando exponencialmente a eficácia da sala de controle e deixando as ações automatizadas, em grande parte. Nosso software de autoaprendizagem é capaz de se adaptar e evoluir, acompanhando mudanças no ambiente e entre usuários e agressores”, disse.

Oller explicou como a Alarmtek conseguiu avançar no sistema de prevenção a ataques por meio de analíticas de vídeo baseadas em inteligência artificial: “Nosso algoritmo de detecção de comportamento anômalo não se baseia em regras pré-definidas. A solução aprende de forma autônoma como se movimentam normalmente os objetos em uma determinada cena e, depois de estabelecer uma norma, o sistema passa a gerar alertas de eventuais desvios em tempo real. Um motor de aprendizado então classifica esses alertas, permitindo aumentar a precisão das ações de defesa”.

Mais populares

09/08/2022

Febraban Tech começa hoje em São Paulo

Leia mais
16/12/2021

Conheça o lado cinza dos marketplaces

Leia mais
13/01/2021

Testamos os recursos tecnológicos do VW Nivus

Leia mais
08/08/2022

Ferramenta com IA mostra zonas de risco para mulheres

Leia mais
08/08/2022

Saiba como lidar com bots com segurança

Leia mais
break

Notícias Relacionadas